Terceira Leva – A Brassagem da American Pale Lager

Já um pouco mais adaptado ao uso do equipamento me senti mais tranquilo nesse dia. Sanitizei tudo, esterelizei e fiquei esperando o amigo Oliver que viria pra filmar a brassagem pois em breve ele vai lançar um site sobre cervejas caseiras.

Outro amigo que veio foi o Helder, que eu também ainda não conhecia, participante da lista de e-mails da Acerva Paulista que me pediu pra vir conhecer o equipamento por que está com intenção de começar a produzir também.

Passo-a-passo anotado, tudo preparado e dei início. Como o Oliver estava filmando não consegui registrar em fotos, mas em breve (e se ele permitir!) vou colocar o vídeo editado por ele aqui nesse texto.

Era a primeira vez que eu iria fazer uma pilsen, como haviam me dito que tinha que tomar mais cuidados eu me preparei um pouco mais, li bastante sobre o assunto pra não ter surpresas durante o percurso.

Os maltes eu comprei moídos novamente, sei que ainda precisarei comprar um moedor mas por enquanto a minha idéia é facilitar meu trabalho pra me empolgar ainda mais.

Mantive durante 1 hora em cada temperatura: 60 e 72ºC. Finalizei com 15 minutos a 78ºC.

Tudo ocorreu dentro do previsto, o meu maior erro nessa brassagem foi ter me empolgado com a presença dos amigos e ter bebido um pouco a mais do que quem está fazendo cerveja deveria!

Durante o processo mais 3 amigos chegaram e o que era brassagem virou bebedeira e churrasco. Estiveram presentes os amigos Marcelo “Barba” Saraiva, Caetano “Jabuti” Moruzzi e Luiz “Phillip” Boschi.

Churrascão, música e cerveja rolando nos copos e nós terminando de fazer tudo embriagados. O processo de resfriamento do mosto demorou pois precisava chegar em 12ºC pra inocular a levedura.

Pro resfriamento do mosto fiz um outro teste, diferente do que fiz nas 1ª e 2ª leva:

– coloquei o mosto na panela de cima

– coloquei muito gelo e água na panela de baixo

– desta vez fiz a água gelada circular por dentro do chiller que estava imerso no mosto

Fiquei mais satisfeito, a temperatura baixou em 1 hora pra 12ºC.

Pras cervejas Lagers o indicado é que a inoculação do fermento seja feita já na temperatura que será usada pra fermentação, portanto foi isso o que fiz.

Como demorou pra resfriar até chegar em 12ºC no final eu já estava colocando meu cachorro na cabeça, meu amigo estava mexendo o mosto com o termômetro pra esfriar mais rápido (tanto é que deixou cair lá dentro e enfiou o bração dentro pra pegar achando que eu não vi!) e a galera tava só na risada.

Fica a dica pros iniciantes: se for fazer cerveja não beba muito!

Agora a cerveja está na fase de fermentação que vou descrever num outro texto, mas fica a expectativa pra ver se ela resistiu a tantos erros que a podem ter contaminado.

Abaixo vídeos do site De Bruer TV:

Esse post foi publicado em 3 - Terceira Leva: American Pale Lager, Minhas Cervejas e marcado , , . Guardar link permanente.